Entrevista Dr. Pedro Nicolau

entrevista-pedro-nicolau

Porque é que decidiu estudar Medicina Dentária?

Queria uma área médica mas não queria medicina (Carreira Hospitalar) e achava em 1985 que esta área tinha potencial de crescimento, o Pais era deficiente de prestadores de cuidados de saúde oral. A medicina dentária associa uma área médica a uma área técnica/artística. As competências técnicas individuais e cientificas são um factor de mais valia e de reconhecimento por parte dos pacientes.

Qual é a parte do seu trabalho que mais desfruta?

Na área da reabilitação oral protética e restauradora directa.

O que é que destacaria da sua clínica dentária, aquilo com que mais se identifica?

A formação e experiência dos seus profissionais (médicos e assistentes).  A oferta multidisciplinar em todas as áreas da medicina dentária. O respeito pelos pacientes, pelo seu tempo e pela sua confiança que ao longo de 25 anos continuam a dar-nos a sua preferência.

Como é que recorda os seus inícios, onde foram?

Foram a actividade clínica no seio de um hospital universitário (ironia), onde se via e fazia muitos tratamentos e a actividade clínica num consultório de um professor e de outro colega mais velho, que mesmo não estando ligado a nenhuma faculdade   me ensinaram muitísssimo.

O que é que significa para si e para a sua clínica dentária ser membro do BQDC?

Significa poder continuar a crescer profissionalmente como médico dentista, poder levar mais formação aos colegas e assistentes mais novos que trabalham neste projecto, e tentar aprender a gerir uma clínica como uma empresa, porque sinto que é onde temos as maiores lacunas.

Estar num grupo que procura melhorar as qualidades dos serviços prestados sem que cada clínica perca  a sua identidade e ao mesmo tempo exposição social dessa mesma qualidade. Espero que mantendo os padrões éticos que fazem desta actividade uma profissão nobre com uma relação médico/paciente e não apenas uma relação comercial entre prestador de cuidados de saúde oral e clientes.

Como é que vê o futuro da Medicina Dentária?

Vejo-a com algum pessimismo, a quantidade de médicos dentistas não para de crescer, e  a exploração dos mais novos é uma realidade triste, para que a maioria das clínicas possa oferecer tratamentos a preços muito baixos. A qualidade dos tratamentos tem vindo a piorar apesar dos meios técnicos e formativos no país ter aumentado, e penso que isto sucede pelas condições dadas aos médicos nessas clínicas (tempo de consulta, materiais etc). Mesmo com o esforço que irá ser feito pelas clínicas BQDC, é difícil que no nosso país onde a maioria dos pacientes negligência ou releva para segundo plano os cuidados de saúde oral, por razões económicas, vá preferir uma clínica BQDC do que outra onde vai pagar muito menos.

Assim, a nossa população de  pacientes é uma minoria muito seleccionada, que não necessita de ir só aos médicos que têm convenção com o seu seguro de saúde. Os seguros de saúde existentes no mercado nacional são outro dos nossos problemas, que pressionam os médicos a fazer tratamentos a preços sempre mais baixos. As clínicas BQDC em Portugal devem arranjar formas de financiamento (nas instituições financeiras) para que os pacientes possam ter taxas mais competitivas para complementar os seguros existentes ou substituí-los de modo a que os pacientes possam realizar todos os tratamentos necessários e não só os mais urgentes.

Quais seriam as suas ferramentas odontológicas indispensáveis para dar a melhor atenção aos pacientes?

Existem muitos meios técnicos inovadores para dar melhor atenção aos pacientes, sistemas CAD-CAM como scanners intra-orais que impressionam e motivam pela capacidade de mostrar ao paciente num ecrã a cavidade oral e de gerar imagens 3D. No entanto, para mim as lupas e os microscópios são hoje ferramentas indispensáveis num consultório de Medicina Dentária moderno (temos estes meios e outros na nossa clínica), mas penso que a melhor ferramenta odontológica continua a ser a sabedoria do médico dentista e a sua capacidade para adequar os tratamentos ao paciente em causa.

Que conselhos de saúde buco-dentária é que dá sempre aos seus pacientes?

Na nossa clínica damos muita importância à higiene, procurando sempre trabalhar com os pacientes para melhorarem a sua condição inicial de higiene. Explicamos os efeitos de uma má higiene e dos maus hábitos alimentares, tabágicos e outros, na longevidade dos tratamentos realizados.  Explico sempre aos meus pacientes que só os posso ajudar se eles disponibilizarem tempo para seguir novos hábitos de higiene em casa, para que qualquer plano de tratamento possa ser bem sucedido.

Escolha…

Uma viagem: Austrália

Um livro: O Perfume.  Patrick Suskind

Um passatempo: Cinema

Uma citação ou frase com que se identifica: “É melhor que fale por nós a nossa vida, que as nossas palavras”,  Gandhi.

Compartir en Redes Sociales:

Responsabilidad social

Descarga el Informe

Procurar clínica de medicina dentária

Buscar clínica dental
Notícia BQDC